InícioInício  CalendárioCalendário  FAQFAQ  GruposGrupos  Registrar-seRegistrar-se  Conectar-seConectar-se  

Compartilhe | 
 

 AVERY, MARCUS

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
Marcus Avery

avatar

Masculino Sagitário Porco
Idade : 21
Player : Liz
Mensagens : 608

MensagemAssunto: AVERY, MARCUS   26/4/2016, 13:42


  • DADOS BÁSICOS

Player: Liz

Nome completo: Marcus Viktor Avery
Apelido: Marc
Data de Nascimento: 29 de Novembro de 1995
Local de Nascimento: Londres, Inglaterra

Idiomas: Inglês
Sexualidade: Heterossexual
Relacionamento: Solteiro

Raça: Sangue puro
Característica especial: Nenhuma
Patrono: Crocodilo
Bicho-Papão: Ele petrificado – ainda hoje ele ainda não percebe muito bem qual o motivo de este ser o seu bicho-papão, mas acredita que esteja relacionado com o fato de ser um espírito livre que não gosta que lhe imponham regras
Varinha: Cornus com pelo de unicórnio, 10,9 polegadas (27,68 cm), semi flexivel.


  • VIDA

Marcus é o filho do meio de Julius e Circe e provavelmente o que mais dores de cabeça dá aos pais. A sua infância esteve longe de ser perfeita: cresceu aprendendo toda a etiqueta para se apresentar em sociedade, coisa para a qual não tinha o mínimo interesse, e no meio disso tinha que levar com as implicâncias do irmãos mais velho e dispensar a atenção da família para o irmão mais novo. Logo nessa altura se começou a demonstrar a falta de interesse que ele tinha para a maioria das coisas, porque mesmo tendo algumas falhas no seu crescimento, não ligava muito para isso e não se deixava incomodar. Era difícil para ele se entusiasmar de verdade com alguma coisa, mas aos sete anos a mãe decidiu contratar um professor de piano para ele. Se seria de esperar alguma espécie de ânimo quando demonstrou magia, para Marcus esse verdadeiro ânimo só chegou quando ele conseguiu tocar a primeira música no piano. Era algo que o fazia sentir-se realizado e ele acabou demonstrando um interesse que não era normal nele. Isso deixou Circe para lá de feliz e até orgulhosa daquele seu filho que não parecia destinado a grandes feitos. Mais tarde, com dez anos, Marcus quis aprender a tocar violão, pedido a que os pais acederam, pois percebiam que aquilo era algo que o deixava feliz.

Quando entrou em Hogwarts, ficou na casa em que todos esperavam que ele ficasse: Sonserina. A sua adaptação foi muito fácil, até porque ele falava com todo o mundo e todos pareciam gostar dele. Nunca foi daqueles sonserinos de nariz empinado, apesar de na sua família serem todos sonserinos orgulhosos, e falava com todos independentemente da casa ou da raça. Isso fez com que recebesse críticas de alguns colegas mas, mais uma vez, ele aplicou a sua capacidade de ignorar as coisas e apenas continuou sendo igual a si mesmo. Por se dar bem com pessoas de todas as casas, acabava conhecendo e se dando com amigos de amigos e foi assim que acabou conhecendo Hazel Macmillan. Sendo ele bem pentelho na altura e ela alguém com quem era extremamente fácil ele se dar, acabaram ficando realmente amigos. E se no início eles eram demasiado novos para sentirem algum tipo de ligação forte, com o tempo ele acabou se apaixonando pelo tipo de pessoa que ela era e fez questão de a ter por perto. Os anos passaram e ela se tornou facilmente na sua melhor amiga.

Foi ainda no primeiro ano que ele começou a revelar que tipo de aluno ele seria: o que se metia em encrencas, destabilizava as aulas e tirava notas medíocres. Dificilmente ele consegue dizer quantas detenções cumpriu, mas tem a certeza que ajudou muito a Sonserina a perder as taças das casas. Também tem quase a certeza que nunca ganhou um ponto que fosse para a sua casa.

O seu percurso em Hogwarts foi sempre muito igual: a nível de aproveitamento era uma miséria, mas a nível de popularidade ele estava bem lá acima. A sua maneira de ser fez com que arranjasse facilmente amigos, então estava sempre rodeado de pessoas. No quarto ano beijou pela primeira vez uma garota e a entrada nesse mundo das conquistas fez com que ele ignorasse ainda mais o propósito que o fazia estar em Hogwarts. Estudar era algo que ele fazia só mesmo quando necessário e mesmo assim era quase preciso amarra-lo em alguma cadeira. Felizmente, tinha amigos que gostavam o suficiente dele para o obrigarem a estudar. Passava mesmo nas provas nem sabia como e quase reprovou nos N.O.M’s, mas por algum golpe de sorte conseguiu chegar ao sexto ano. Hazel era uma das que mais o impulsionava a estudar, por claramente ter um visão do mundo mais acertada do que ele e sempre tinha muita paciência para ele. Ajudava-o a estudar e tentava abrir os olhos dele e hoje ele lhe deve muito por ter tido tanta importância no seu percurso escolar.

Durante todos esses anos a música continuou fazendo parte do seu percurso. Tinha sempre o violão em Hogwarts e tocava várias vezes para os seus amigos. Passava muitas horas na sala de música tocando piano, gastando o tempo que devia aproveitar para estudar. Quando chegou na adolescência a sua voz começou a engrossar e a ficar um pouco mais rouca e aí ele percebeu que cantava bastante bem. Aliando o instrumento à voz, ele acabou se tornando ainda mais o cara legal, mesmo que ele não andasse por aí se gabando das suas capacidades. Apesar de tudo ele sentia que estava criando uma pessoa que gostava realmente de ser. A música lhe permitia contar tanta coisa, deitar tanta coisa cá para fora, que achava mesmo que era a melhor forma que tinha de ser sincero com todos. Mesmo assim, considerava a música uma coisa só sua e nunca pensou em fazê-lo de forma profissional.

No fim do sexto ano ele começou a se dar melhor com uma menina de ascendência indiana, nascida trouxa, Rose Kaul. Ela era do seu ano e da Corvinal e acabou sendo uma boa influência para ele, já que o incentivava a estudar e a tentar ser melhor aluno. Ele acabou se apaixonando por ela e no início do sétimo ano começaram a namorar. Por ela ser nascida trouxa, Marcus teve que esconder o relacionamento dos pais e mesmo em Hogwarts a relação era praticamente segredo. Claro que os amigos mais íntimos de ambos sabiam, mas de qualquer forma ele preferia prevenir que alguém da sua família descobrisse. Eles conseguiram manter a relação quase até ao final e o sétimo foi provavelmente o melhor ano de Marcus em termos de resultados. Rose se chateava muitas vezes com ele por ele não demonstrar interesse para a maioria das coisas e ele acabava tentando se esforçar mais um pouco por causa dela. No entanto, já perto do fim do ano, Vikram, o irmão mais novo de Marcus, acabou descobrindo do namoro e contou para o pai. Claro que o drama não tardou, porque jamais ele autorizaria que o filho namorasse uma nascida trouxa. No início Marcus quase ignorou todo o drama que o pai fez para ficar com Rose, mas as ameaças por parte do pai fizeram-no perceber que se ele não fizesse o que Julius queria ia ter muitos problemas na vida. Assim, ele terminou o namoro com Rose, que não entendeu os seus motivos e com quem até hoje não mais nenhum contato. Claro que depois disso ele socou o nariz de Vikram e os dois pegaram na porrada no meio do salão comunal. Mesmo hoje faz um esforço tremendo para não socar de novo a cara do irmão. Depois de Vikram contar para o pai de Rose, Marcus quis se vingar e começou a dar em cima da noiva do irmão, Sabina Malfoy. Até ele ficou espantado em como foi fácil seduzir a garota e eles acabaram transando uma vez. Depois disso Marcus meio que se sentiu mesquinho de ter feito aquilo e nunca contou para Vikram o que aconteceu.

Apesar de no resto do seu tempo em Hogwarts ter andado revoltado e sem vontade para fazer fosse o que fosse, a verdade é que ele não queria ficar ali mais um ano, e isso foi suficiente para que ele se esforçasse mais um pouco para estudar para os N.I.E-M’s. Conseguiu se formar, mas as suas notas ficarem longe de serem úteis para alguma coisa. Não que isso o preocupasse, já que os seus planos de vida eram ficar em casa vivendo do dinheiro dos pais. No entanto, cansados da atitude de Marcus, os pais dele apenas lhe deram duas opções: ou ia trabalhar em alguma coisa ou continuava estudando. No momento ele acreditou que a melhor opção era mesmo sair de casa e morar na rua, porque qual uma era tortura para ele. Depois de afastar essa ideia, acabou por escolher Ottery, onde o pai deu um jeito para que ele conseguisse entrar.

Aquilo que aconteceu na universidade foi o mais previsível possível. Ele ignorou os estudos, faltou às aulas, e a sua vida era festas, saídas e bebedeiras. Tinha ainda a vantagem de ter um quarto na college, então ele fingia que ficava o tempo todo estudando na college para não ter de aturar o pai em casa. Claro que no final do ano o resultado foi aquele que já se esperava, ele acabou por não passar às matérias suficientes para conseguir passar de ano. Marcus tentou esconder isso dos pais, mas a informação acabou por lhes chegar aos ouvidos e ele levou grande bronca. Por estar a começar a se tornar um problema para o nome da família, Julius foi mais duro com ele do que nunca. Proibiu-o de ficar na college, obrigando-o a dormir em casa, e passou a controlar muito mais os horários dele. Marcus não gostou desse tipo de controle, mas se sujeitou porque sabia que seria bem pior se não o fizesse.
Voltou a fazer o primeiro ano e começou a tentar estudar mais, mesmo que fizesse um grande esforço para isso. Apesar de tudo, prefere aquilo do que ser expulso de casa pelo pai.


  • FAMÍLIA E RELACIONAMENTOS


Julius Lysandre Avery (1960): Pai. A sua relação com ele sempre foi um pouco complicada, apesar de que normalmente Lucius deixava Marcus simplesmente fazer a sua vida. Apenas mais recentemente ele apertou o controle sobre o filho, o que tornou o relacionamento bastante mais conflituoso.

Circe Ariadne (Mulciber) Avery (1961): Mãe. Apesar de ela não defender Marcus nas besteiras que ele faz, tem mais paciência para falar com ele e para o incentivar. Nem sempre têm o melhor relacionamento, mas ela realmente se esforça para o tornar uma pessoa melhor, tentando não o obrigar a nada. Ainda assim, nunca é contra aquilo que Julius decide, porque por muito que lhe custe as chatices, sabe que o marido tem razão em relação a Marcus.

Argus Felix Avery (1987): Irmão. Nunca foram realmente próximos, até porque Argus é um pouco mais velho, mas também nunca se deram mal. Mais recentemente criaram uma espécie de maior relação porque os dois só fazem besteiras e enchem a cabeça do pai, então o drama é sempre dividido pelos dois.

Leila Avery (2014): Sobrinha, filha de Argus. Foi uma grande descoberta quando soube da existência de Leila, mas logo se sentiu o tio mais legal do mundo. Mesmo que não passe muito tempo com ela, gosta imenso dela.

Vikram Roman Avery (1997): Irmão. Os dois têm maneiras de ser e de pensar bem distintas, mas a relação entre os dois sempre foi bastante pacífica até que Vikram contou para Julius da relação de Marcus com Rose. Durante algum tempo Marcus não falou com Vikram mas com o tempo achou melhor evitar mais chatices. Hoje em dia acha-o irritante e não faz questão de estar na presença dele, mas não é um problema se tiver de conviver com ele.

Nero Pontius Avery (1955): Tio.

Malcolm Avery (1994): Primo.

Rose Kaul (1996): Ex-namorada. Corvinal. Depois de ele ter terminado com ela a relação entre os dois ficou impossível e até hoje continuam afastados.

Hazel Macmillan (1996): Melhor amiga. Conheceu-a no primeiro ano e com o tempo acabou criando uma ligação bem forte com ela. Considera-a a a pessoa que mais equilibra a sua vida, já que ele sabe que o seu estilo de vida não é perfeito e por isso muitas vezes precisa de alguém que lhe abra os olhos. Sabe que lhe deve muito por todos os anos em que ela o aturou e sempre faz questão de demonstrar isso.


  • APARÊNCIA

Tem 1,80m e, apesar de ter uma aparência bonita, é assim para o magro. Tem o cabelo loiro e os olhos azuis. Não tem muita paciência para se barbear, então anda normalmente com alguma barba. O mesmo acontece com o cabelo, que anda sempre um pouco para o grande porque ele esquece de cortar. Usa brincos nas duas orelhas, desde que as furou quando saiu de Hogwarts. Odeia quando tem que vestir algo mais chique e sempre reclama com a mãe quando ela tenta dar-lhe um melhor aspeto. Apesar de ser um pouco desleixado, não chega a ter uma apresentação ruim.


  • PERSONALIDADE

Super sociável e bem disposto, é muito fácil lidar com ele. Fala com todo o mundo, ri e faz piadas a toda a hora. Tem uma vibe sempre muito positiva e parece estar sempre de bem com a vida, apesar de muitas vezes estar puto especialmente com as coisas que se passam na sua família. Tem sérios problemas com regras e obrigações e por isso tem a sua quota parte de rebelde. Não é fácil tira-lo do sério e ele sempre lida com as situação com calma. O seu maior defeito é parecer que não tem nenhum objetivo na vida. Não se entusiasma a sério com nada, não se dedica a nada e parece que a sua vida só pelo prazer. E mesmo sabendo que provavelmente se vai arrepender disso, ele não faz nada para mudar. É também muito preguiçoso e sempre usa a lei do menor esforço.


It's about where it started & where it would go
Voltar ao Topo Ir em baixo
 
AVERY, MARCUS
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» MvP [Chacina] - Will Marcus, Leslie Daniels, Herbert Florus, Clare Elizabeth
» MvP Heróica | Marcus Alott, Gray Fullbuster & Billy Goat
» MvP Comum | Marcus Alott e Charlotte Dutt Loubet
» MvP Heróica // Will Marcus
» MvP [Comum] Will Marcus e Herbert Florus

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Wizard's Universe :: OFF :: Registros & Informações :: Fichas-
Ir para: