InícioInício  CalendárioCalendário  FAQFAQ  GruposGrupos  Registrar-seRegistrar-se  Conectar-seConectar-se  

Compartilhe | 
 

 ZAGHLOUL, Zain

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
Zain Zaghloul

avatar

Masculino Touro Gato
Idade : 18
Player : Liz
Mensagens : 982

MensagemAssunto: ZAGHLOUL, Zain   8/8/2015, 14:53


  • DADOS BÁSICOS

Player: Liz

Nome completo: Zain Zaghloul
Data de Nascimento: 15 de Maio de 1999
Local de Nascimento: Cairo, Egito

Idiomas: Inglês, Árabe
Sexualidade: Bissexual
Relacionamento: Solteiro

Raça: Sangue Puro
Característica especial: Nenhuma
Patrono: Crocodilo
Bicho-Papão: Ele fechado em algum lugar apertado
Varinha: Choupo-Branco com Pena de Fénix, 11,4 polegadas (29 cm), rígida.


  • VIDA

Zain foi o fruto de uma gravidez não planeada, resultado de uma brincadeira de verão que acabaria por se tornar em algo mais sério por imposição das famílias. Deborah Crouch, contra a vontade da sua família, se envolveu com Samir Zaghloul, um homem viúvo, mais velho, funcionário no ministério da magia egípcio, que estava de visita a Londres para tratar de assuntos políticos. Ansiosa por desrespeitar a sua família, Deborah se envolveu com Samir, de quem descobriu estar grávida dois meses depois. O escândalo na família foi enorme, não só por Deborah ainda ser nova mas especialmente por ir ser mãe solteira. E isso levou à imposição de um casamento. Quando Samir soube da existência do bebé e das exigências dos Crouch, resolveu aceitar o casamento, evitando assim a vergonha para a sua família, que era bem conservadora. Deborah se mudou para o Cairo onde ficou a morar com os Zaghloul, mas simplesmente não conseguia se adaptar ao país. Logo após o nascimento de Zain, Deborah pressionou Samir a voltarem para Londres e Samir cedeu. Abandonou o seu emprego no ministério e se mudou para Londres, deixando a sua filha de 19 anos, Rawya, fruto do seu primeiro casamento no Egito. Samir facilmente achou um novo emprego mas a relação com Deborah não foi nada fácil. Os desentendimentos entre os dois eram constantes e eles brigavam por quase tudo. Até a escolha do nome de Zain deu para discussão, já que Deborah não queria que o filho tivesse um nome árabe, enquanto Samir queria o contrário. Acabaram por escolher Zain, não sem antes brigar sobre se seria Zayn ou Zain.
Dois anos depois Rawya conseguiu entrar em um grande time de quadribol, realizando o seu grande sonho. Samir não conseguia não demonstrar o grande orgulho que tinha na filha e por causa dela normalmente esquecia da família que tinha casa. Na realidade, ele não dava já nenhum crédito ao seu casamento e só o mantinha por uma questão de aparência. Quanto a Zain, ele tentava ama-lo como amava Rawya, mas a relação com Deborah quase o fazia odiar aquela criança, que sem querer o tinha forçado aquele casamento e o impedido de estar no seu país. Foi nessa altura que as visitas ao Egito se tornaram constantes, para ver a família Zaghloul e especialmente para ver os jogos de Rawya. No ano seguinte, em 2002, Rawya foi chamada para a seleção do Egito, para jogar na copa. Samir quase rebentou de orgulho, mas o melhor ainda estava por vir: Rawya bateu Viktor Krum, levando a derrota da Bulgária e ajudando no término da carreira do apanhador búlgaro. Samir nunca mais falou noutra coisa em toda a sua vida. Para qualquer lado que ia era Rawya isto, Rawya aquilo. Deborah desesperava de cada vez que ouvia o nome da garota e achava que não aguentaria mais aquela relação.
Quando Zain tinha sete anos o pai o levou para ver as pirâmides no Egito. Apesar de terem um guia, Zain acabou por se separar do pai, por distração dele. Percorreu vários corredores sozinho até perceber que não encontraria a saída, então só ficou sentado num canto, abraçando os joelhos e chorando de medo. Foi encontrado quase duas horas depois. O incidente fez com que ele se tornasse claustrofóbico mas por outro lado trouxe finalmente o término do casamento dos pais.
Samir voltou para o Egito e durante algum tempo pareceu não fazer menção de voltar e ver o filho. Foi Rawya quem um dia apareceu na porta dos Crouch, querendo ver o irmão. No início Deborah não queria que Zain se relacionasse com a irmã, até porque a fama da garota tinha tornado a relação de Zain com o pai muito mais complicada, mas acabou por ceder. Zain tinha 8 anos e na altura não entendia o que tinha acontecido entre os pais e qual era o papel de Rawya na separação deles, então para o garoto foi bem fácil se relacionar com a irmã. Rawya o ensinou a jogar quadribol, sob a supervisão de Deborah, e sempre que ela aparecia em casa dos Crouch era o passatempo preferido dos dois. Foi pela insistência de Rawya que Samir voltou a aparecer na vida de Zain, mas a relação nunca conseguiu ir a lado nenhum, sem que Zain entendesse o porquê. No entanto, aqueles foram provavelmente os melhores anos da sua vida.
Com 11 anos recebeu a sua carta para Hogwarts. Apesar de estar ansioso, ficava triste por saber que deixaria a mãe sozinha e até falou que não queria ir para a escola por causa dela. Claro que Deborah o tranquilizou e ele foi, tal como era suposto. Foi selecionado para a Corvinal e ele na altura nem sabia se isso era bom ou mau. Na realidade, encarou a escolha das casas com alguma indiferença, qualquer uma seria boa para ele. Mas rapidamente se sentiu em casa com os seus novos amigos e se descobriu uma pessoa bastante curiosa em relação a tudo. Nunca achou que fosse inteligente, mas ao longo do primeiro ano percebeu que tinha bastante facilidade em assimilar as matérias e que talvez nunca se tivesse apercebido disso porque estavam mais preocupados em resolver dramas do que em lhe ensinar alguma coisa. Durante esse ano sofreu um pouco nas mãos de sonserinos, que zoavam com a aparência dele, e isso fazia com que ele fosse mais introvertido e se sentisse mal. O apoio dos amigos foi essencial para que ele conseguisse ultrapassar essa fase.
A medida que foi crescendo foi percebendo o porquê de a relação entre os pais ter corrido mal e acabou por partilhar os sentimentos que Deborah tinha por Rawya. Apesar de recordar os bons momentos que tinha com ela, acabou se afastando e cortar relação tanto com ela como com o pai. Pensou algumas vezes em mudar de sobrenome, mas achou que enquanto o mantivesse Samir saberia que haveria um Zaghloul que era filho dele. No entanto, rapidamente se arrependeu de não ter mudado de sobrenome, porque sempre o associavam a sua meia-irmã. Foi nessa altura que ele decidiu que seria melhor que ela e que ia fazer o pai se arrepender por nunca o ter reconhecido como filho. No entanto, deixou de jogar quadribol no quarto, apesar de ser bom, por não querer ser comparado com Rawya nisso. Mas quando decidiu deixar de jogar já foi tarde demais, pois Govannon Ollivander, capitão do time da Corvinal nesse ano, já o tinha visto jogar e começado a encher a paciência dele para ele entrar no time. Ele resistiu e achou que quando Govannon se formasse ele poderia ter paz em relação a esse assunto. No entanto, a substituta dele se revelou muito mais chata e se Govannon enchia a paciência dele, Tabitha levava-o ao desespero. Ele acabou contando para ela porque não queria entrar no time mas a justificação só fez com que ela se tornasse mais insistente, por achar que ele estaria desperdiçando o seu talento por coisas de nada. Ele manteve a sua posição durante quase todo o quinto ano, mas agora que vai para o sexto ele tem pensado seriamente em voltar a jogar.
Tirando toda a euforia que existia em volta dele por causa de Rawya, Zain teve uma vida escolar bem pacífica. Na realidade, a irmã o tornou um cara popular e isso lhe rendeu alguns relacionamentos com meninas e alguns meninos. Descobrir esse seu lado que se atrai por garotos foi complicado para ele, especialmente sabendo do conservadorismo da família do pai. Talvez por isso tenha recusado algumas relações, porque não queria que se soubesse. Para fugir um pouco disso se focava nos estudos e sempre teve boas notas, mas ficou muito puto quando não foi escolhido para monitor no quinto ano, sendo que esse era um dos seus objetivos. Atualmente já não liga muito se o pai se vai arrepender ou não de não o ter reconhecido, fazendo as coisas e se esforçando porque se quer sentir bem consigo próprio. Também já não tem problemas com a sua sexualidade e por isso sente que aproveita muito mais a sua vida agora.


  • FAMÍLIA E RELACIONAMENTOS

Samir Zaghloul (1954): Pai. Ex-chefe de departamento no ministério egípcio e ex-funcionário no ministério inglês. Se mudou para Londres quando soube que Deborah, mãe de Zain, estava grávida, e aceitou um casamento para evitar vergonhas. A relação foi difícil desde início mas piorou quando Samir se tornou obcecado na sua outra filha, Rawya, deixando de lado Zain. Actualmente tem um cargo menor no ministério egípcio e não tem qualquer relação com Zain.

Deborah Crouch (1979): Mãe. Sonserina. Revisora no Profeta Diário. Casou com Samir com 20 anos, quando engravidou de Zain, mas o casamento terminou alguns anos depois. Zain é a sua única real preocupação e durante todos estes anos tem se esforçado para que ele não sinta o desprezo que o pai lhe deu, embora acabe por ser um pouco complicado.

Aysha (Hayek) Zaghloul (1957 – 1994): Primeira mulher de Samir. Teve uma filha, Rawya.

Rawya Zaghloul (1980): Meia-irmã. Ex-jogadora de quadribol. Rawya já era adulta quando ele nasceu e a relação deles nunca foi extremamente próxima. No entanto, passaram vários momentos juntos até Zain a começar a culpar pela falta de interesse do pai por ele.


  • APARÊNCIA

Apesar de não gostar disso, Zain puxou bastante da aparência do pai. Tem a pele morena e os olhos e cabelo castanhos. Sempre teve o cabelo um pouco comprido mas na prá-adolescência decidiu começar a cortar, por tanto se assemelhar ao seu pai. No entanto, parecia que quanto mais cortava, mais depressa ele crescia, então Zain simplesmente desistiu e deixou que ele cresceu. Atualmente seu cabelo chega aos ombros e ele sempre se esforça para pelo menos o manter bonito, já que tem noção que ele se tornou a sua imagem de marca e as pessoas parecem gostar dele. Nas aulas usa preso num coque, mas anda muitas vezes com ele solto. Não é incomum vê-lo de barba e bigode, simplesmente porque por vezes tem preguiça de cortar e acha que não fica mal, mesmo que acabe parecendo ainda mais com o pai. Usa roupas normais, sem chamarem muito a atenção, mas gosto de usar anéis nos dedos, usando sempre um ou dois quando sai de casa.


  • PERSONALIDADE

Apesar de no início dos tempos em Hogwarts Zain ser um pouco introvertido por se sentir estranho a nível de aparência junto dos seus colegas, foi passando esse complexo aos poucos e aprendendo a socializar. Hoje em dia é uma pessoa sociável, adora fazer piadas e por vezes abusa um pouco do sarcasmo, mas acaba sempre por ser engraçado. Tem o terrível hábito de fazer piadas com situações que talvez não tenham tanta piada assim, mas as pessoas já o conhecem e então nem se incomodam.


Voltar ao Topo Ir em baixo
 
ZAGHLOUL, Zain
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Wizard's Universe :: OFF :: Registros & Informações :: Fichas-
Ir para: